Você está em
Home > Software > Série: Implantação de Software

Série: Implantação de Software

Permitam-me ser agora extremamente ousado e dizer que o grande sucesso de um software não deriva de seu desenvolvimento, nem de sua minuciosa arquitetura, mas sim de sua implantação. De nada adianta um software genial se niguem usá-lo não é mesmo?

Todos sabemos que grandes empresas como Facebook, Google, Microsoft, e muitas outras tem suas contas bancarias bem gordas graças ao numero de usuários que as mesmas detém em sua base de dados. Isso se deve a aceitação da plataforma no mercado ou seja implantação de software como sucesso.

Gostaria em algumas postagens, compartilhar aqui com vocês o que considero pouco difundido em blogs, revistas e até mesmo na disseminação da cultura de startups instalada recentemente em terras tupiniquins.

O cenário

Nos diais atuais é facil encontrarmos soluções de software que nos ajude a tornar nossas tarefas mais produtivas ou menos sofríveis para quase qualquer problema, no mundo corporativo sempre existe uma solução de software que vá resolver  problemas rapidamente. Mesmo quando não encontramos, o que não faltam é profissionais e empresas de desenvolvimento para criar grandes soluções para seus clientes, resolvendo assim seus problemas, tornando tudo mais facil e gerando receita.

Vamos analisar ?

Vamos partir de um princípio para que você meu caro amigo leitor, entenda de forma fácil o que ocorre em quase todas as corporações, e garanto que vai se identificar com o que vai ler a seguir.

O cliente – seja ele interno ou externo – identifica um problema do qual não aguenta mais e acredita que um “sistema” pode salvá-lo do atual martírio e sofrimento intenso que vive, este por sua vez o faz chegar em casa arrasado, atrapalhar seu convivio familiar, suas horas de lazer com horas extras e cansaço.

Temos também o caso mais comum que é a SANTA PLANILHA EM EXCEL, do qual o usuário nutre um amor quase intrasponível, nada se compara a sua planilha, que ele pode alterar, modificar, realizar filtros a hora que desejar. Mas ele no fundo saber que existe soluções melhores que sua querida planilha, o que o leva procurar ajuda para se livrar deste amor passional que o tortura com planilhas dinâmicas e funções procv().

O desenvolvedor ouve como um terapeuta as requisições do usuário, e  vai elaborando em sua mente um esboço do que poderá ser a solução ideal, anota o que vier de mais relevante, e parte o desenvolviemento junto com sua equipe.

[PAUSE]

Para quem esta pensando agora: – Ah!!! mas hoje existem metodoligas ageis, Scrum, XP e bla, bla bla.

Gostaria de dizer que sei muito bem disso mas este não é foco do texto, e saiba que a no mundo “real” a maioria das empresas de desenvolvimento são infelizmente ainda muito resistentes em adotar padrões ageis. Por hora então fique calmo que mais adiante vou falar sobre isso também.

[PLAY]

É realizado todo um planejamento, processos de desenvolvimento, bancos de dados são elaborados, fluxogramas de telas, arquitetura de informação, teste se mais testes de usabilidade são realizados e depois de algum tempo, a soluçao é desenvolvida por completo.

Comparado ao nascimento de um filho a equipe fica totalmente satisfeita com o resultado, o software cumpre perfeitamente o seu papel para o qual foi desenvolvido, chegamos agora o momento mais aguardo a entrega para o cliente ou seja a implantação.
Na maioria dos casos o software corrige algum problema de processo, ai que tudo fica complicado, quando desenvolvemos um projeto de software, analisamos minusciosamente todo o processo e validamos suas etapas, é este o momento que checamos os erros, e o seu respectivo tratamento mais produtivo, seja eliminando etapas, adicionando-as ou mudando sua concepção.

E quando citamos alterações nos processos de trabalho, isso quer dizer que vamos tirar pessoas de sua zona de conforto, isso porque ela terá de realizar suas tarefas de modo diferente da que esta acostumada, seja isso bom ou ruim, a grande a maioria dos usuários, ou melhor, a maioria dos seres humanos, não gosta de sair de sua zona de conforto.

Indo direto ao ponto, o usuário simplesmente “avacalha” ou dificulta a implantação do projeto de software pelos motivos:

– Mudou o processo de trabalho dele, o mesmo tera de sair da zona de conforto e isso ele não quer fazer!!!
– Ele não gostou de nada, porque não pode mudar o padrão como na planilha, reclama e canta musicas do NXZero.
– O desenvolvedor realmente é um ignorante e não sabe fazer análise de requisito
– O desenvolvedor não usou nenhuma metodologia eficaz para todo o processo de desenvolvimento
– O usuário reclama que nao foi treinado e tem medo de mexer e estragar tudo

Vamos agora analisar cada um destes problemas e apresenter soluções cabíveis ou não, tanto para usuários e desenvolvedores nas posts que vão seguir esta série.

E você amigo leitor, achar que existem mais implicações que estas que citei?

Abraços!!!

 

Raphael Franco

Editor do Blog do Raphamaster, analista de sistemas e professor especialista em gestão da informação.

http://www.raphamaster.com.br
  • Kall

    Muito bom o post, é exatamente assim que acontece na maioria das vezes que tentamos melhorar ou facilitar a vida do usuário com o desenvolvimento de sistemas.
    Um dos maiores paradigmas neste sentido é sem duvida a mudança cultural, o usuário está acostumado a trabalhar de uma forma e cria muitas resistências para as mudanças, mesmo que em seu beneficio.

  • Marília Basso

    Bom, concordo com tudo que você disse. Realmente as pessoas não gostam de mudanças, nem que sejam para melhores. Acontece esse tipo de reação a todo momento em nosso convívio profissional, pois os indivíduos em questão, não aceitam sair da “zona de conforto”, como você mesmo disse.
    Acho que isso atrapalha muito o andamento do processo de trabalho. Sou adepta a fazer testes, e no fim utilizar do software como minha ferramenta de trabalho.

  • Ótimo post mano!
    O ‘usuário’ foi um dos grandes motivos que me fizeram migrar para a área, vamos dizer, mais ‘publicitária’ do negócio.
    Cansei dos processos burocráticos e dos usuários ‘teimosos’ (pra não dizer burros rs) que o desenvolvimento de uma solução empresarial acarretam.
    A área publicitária/marketing da empresa é mais ‘legal’ de se trabalhar … pelo menos pra mim.
    Aguardamos o próximo post!
    Abraços.

    Borga

  • Karina

    Adorei esse post… Eu sofro muito em querer algum (algum sistema) que facilite a minha vida… porem, no meu caso, não que eu queira sair da minha zona de conforto, mas geralmente são muitos detalhes que um excel não tem… por isso que acaba desanimando! Acho que o legal é que qdo começar a criação de algum sistema para um determinado cliente ou determinados clientes, seria legal, escutar e ver realmente as dificuldades que existem. Pois são muitas, pensa é um negocio novo que vamos ter que nos adaptar…

Top